Sábado, 21 de Maio de 2022 20:51
(67) 99638 8893
Geral Mato Grosso do Sul

Governador lançou festival e entregou veículos para fortalecer as ações de cidadania e cultura do Estado

Os investimentos em Cidadania e Cultura sempre fizeram parte das prioridades da gestão estadual. Assim, o governador Reinaldo Azambuja manteve a tr...

14/05/2022 07h10
13
Por: Redação Fonte: Secom Mato Grosso do Sul
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os investimentos em Cidadania e Cultura sempre fizeram parte das prioridades da gestão estadual. Assim, o governador Reinaldo Azambuja manteve a tradição e lançou a 16° edição do Festival América do Sul, que reúne artistas do Estado e de diferentes países. Também entregou 11 veículos para a Secic (Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura), que vão fortalecer as políticas públicas do setor.

O Festival América do Sul será nos dias 26, 27, 28 e 29 de maio em Corumbá e Ladário, com atrações regionais, nacionais e internacionais. Devido a pandemia do coronavírus, este grande palco da cultura sul-mato-grossense não foi realizado nos dois últimos anos, mas agora retoma com todo empenho e dedicação.

“Este é o primeiro grande festival que teremos pós-pandemia, que representa a retomada dos grandes eventos no Estado. Não tenho dúvida que será um grande atrativo com uma extensa programação cultural que não é feita só de música. Tem teatro, circo, artesanato e muito mais, em uma pluralidade de atrações”, afirmou o governador.

São mais R$ 6 milhões para realizar o festival, que desperta todos os setores culturais do Estado, desde as atrações musicais, como teatro, circo, artesanato e outras ações que vão encantar o público durante o evento. Entre os grandes shows estão: Michel Teló, Atitude 67, Mart’nália, Margareth Menezes, Monobloco e Marcelo D2.

Novos veículos

Com foco no fortalecimento das políticas públicas para Cultura e Cidadania, o governador entregou nesta semana 11 veículos para a Secic. Eles serão usados pelas oito subsecretarias que fazem parte da pasta, assim como no programa “Cidade Viva, que é voltado para a juventude. O investimento foi de R$ 1.036.435,50.

“É muito importante fortalecer essas políticas de inclusão social, estruturar melhor as subsecretarias com equipamentos, qualificação pessoal com treinamento. Com isso, você fortalece a política como um todo. Nós temos oito subsecretarias que atendem essa diversidade que existe hoje dentro da Cidadania. Criamos isso para estimular as políticas públicas para esses segmentos”, descreveu o governador.

Durante o evento, realizado na última terça-feira (11), Reinaldo Azambuja ainda fez questão de destacar que estas subsecretarias são importantes e têm papel fundamental para promover atendimentos, inclusão e combate a preconceitos. Elas atendem as Políticas Públicas para mulheres; Promoção da Igualdade Racial; Juventude; LGBT; Pessoas com Deficiência; Idosos; Assuntos Comunitários; e Indígenas.

UFN3

Em defesa dos empregos e do desenvolvimento do Estado, o governador se reuniu com a direção da Petrobras, para discutir a venda da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados), depois que foi encerrada a negociação com o grupo russo Acron. Durante a reunião, Reinaldo Azambuja recebeu a garantia da estatal que será lançado ainda neste semestre o edital para venda da usina, localizada em Três Lagoas.

“A Petrobras assumiu o compromisso de publicar um novo edital ainda neste semestre. A gente pediu para que eles fizessem um cronograma para que isso se resolvesse dentro de 2022 para que no próximo ano pudessem ser retomadas as obras da fábrica. O presidente garantiu celeridade nesse processo”, explicou o governador.

A reunião realizada na sede da Petrobras teve a participação do presidente da estatal, José Mauro Coelho, da ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e do secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck. Ao fim do encontro, todos saíram otimistas em relação ao tema.

A construção da UFN3 começou e 2011, no entanto a obra foi paralisada em dezembro de 2014, após rompimento da Petrobras com o consórcio responsável pelo empreendimento. Em 2017 a estatal colocou a usina à venda, com a justificativa que não tinha mais interesse no setor de fertilizantes.

Leonardo Rocha, Subcom

Foto Capa: Leonardo Rocha

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias